domingo, 26 de fevereiro de 2017

A mensagem quaresmal 2017 do Papa Francisco, texto completo

Parábola do rico e Lázaro © Wikimedia Commons / Meister Des Codex Aureus Epternacensis

Parábola Do Rico E Lázaro © Wikimedia Commons / Meister Des Codex Aureus Epternacensis
“A Palavra é um dom. O outro é um dom”: este é o tema do Mensagem do papa Francisco para a Quaresma 2017, publicado no Vaticano na este terça-feira fevereiro 7, 2017
Quaresma, em que os batizados estão se preparando para a Páscoa e catecúmenos para o batismo, abre este ano na quarta-feira, 1 de Março, de cinza quarta-feira e eles ‘termina com o Domingo de Páscoa, 16 de Abril.
“O apóstolo Paulo diz que «a raiz de todos os males é a ganância do dinheiro» (1 Tm 6, 10). Esta é o motivo principal da corrupção e uma fonte de invejas, contendas e suspeitas. O dinheiro pode chegar a dominar-nos até ao ponto de se tornar um ídolo tirânico (cf. Exort. ap. Evangelii gaudium, 55). Em vez de instrumento ao

sábado, 5 de novembro de 2016

Solenidade de Todos os Santos


Do Senhor é a terra e o que nela existe, o mundo e quantos nele habitam. Ele a fundou sobre os mares e a consolidou sobre as águas.
Quem poderá subir à montanha do Senhor?
Quem habitará no seu santuário?
O que tem as mãos inocentes e o coração puro, o que não invocou o seu nome em vão.
Este será abençoado pelo Senhor e recompensado por Deus, seu Salvador.
Esta é a geração dos que O procuram, que procuram a face de Deus. Salmo 23(24)
Celebrar os Santos na Ressurreição é Celebrar as Bem-aventuranças, que revelam a realidade misteriosa da vida em Deus, iniciada no Batismo. Aos olhos do mundo, o que os servidores de Deus sofrem, são efetivamente formas de morte: ser pobre, suportar as provas (os que choram) ou

Todos os Santos . Solenidade


Primeira Leitura (Ap 7,2-4.9-14)

Leitura do Livro do Apocalipse de São João:

Eu, João, 2vi um outro anjo, que subia do lado onde nasce o sol. Ele trazia a marca do Deus vivo e gritava, em alta voz, aos quatro anjos que tinham recebido o poder de danificar a terra e o mar, dizendo-lhes: 3“Não façais mal à terra, nem ao mar, nem às árvores, até que tenhamos marcado na fronte os servos do nosso Deus”.
4Ouvi então o número dos que tinham sido marcados: eram cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel.
9Depois disso, vi uma multidão imensa de gente de todas as nações, tribos, povos e línguas, e que ninguém podia contar. Estavam de pé

sábado, 21 de fevereiro de 2015

O Prefácio e as Orações Eucarísticas

Somente a primeira e a terceira oração eucarística não têm prefácio próprio. Quando recitamos as outras orações eucarísticas, que têm o seu próprio prefácio, devemos sempre usar esse prefácio delas? Especialmente quando há um prefácio próprio do tempo litúrgico, devemos sempre e somente usar as orações eucarísticas 1 e 3?
Antes de tudo, precisamos esclarecer o que é um prefácio próprio. Os conceitos são dois. Em primeiro lugar, a oração eucarística tem um prefácio próprio (a II e a IV, bem como as orações eucarísticas especiais para as missas por diversas necessidades e pela reconciliação). Em segundo lugar, a missa do dia tem um prefácio próprio.
No segundo caso, em meados dos anos 1970 a Congregação

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Das Homilias sobre os Evangelhos, de São Gregório Magno, papa

A palavra anjo indica o ofício, não a natureza

É preciso saber que a palavra anjo indica o ofício, não a natureza. Pois estes santos espíritos da pátria celeste são sempre espíritos, mas nem sempre podem ser chamados anjos, porque somente são anjos quando por eles é feito algum anúncio. Aqueles que anunciam fatos menores são ditos anjos; os que levam as maiores notícias, arcanjos.
Foi por isto que à Virgem Maria não foi enviado um anjo qualquer, mas o arcanjo Gabriel; para esta missão, era justo que viesse o máximo anjo para anunciar a máxima notícia.
Por este motivo também a eles são dados nomes especiais para designar, pelo vocábulo, seu poder na ação. Naquela santa cidade, onde há plenitude da ciência pela visão do Deus onipotente, não precisam de nomes próprios para se distinguirem uns dos outros. Mas quando vêm até nós para cumprir uma missão, trazem também entre nós um nome derivado desta missão. Assim Miguel significa: “Quem como Deus?”; Gabriel, “Força de Deus”; e Rafael, “Deus cura”.
Todas as vezes que se trata de grandes feitos, diz-se que Miguel é enviado, porque pelo próprio nome e ação dá-se a entender que ninguém pode por si mesmo fazer o que Deus quer destacar. Por isto, o antigo inimigo, que por soberba cobiçou ser igual a Deus, dizendo: Subirei ao céu, acima dos astros do céu erguerei meu trono, serei semelhante ao Altíssimo ( cf. Is 14,13-14), no fim do mundo, quando será abandonado às próprias forças para ser destruído no extremo suplício, pelejará com o arcanjo Miguel, como diz João: Houve uma luta com Miguel arcanjo (Ap 12,7). A Maria é enviado Gabriel, que significa “Força de Deus”. Vinha anunciar aquele que se dignou aparecer humilde para combater as potestades do ar.Portanto devia ser anunciado pela força de Deus o Senhor dos exércitos que vinha poderoso no combate.
Rafael, como dissemos, significa “Deus cura”, porque ao tocar nos olhos de Tobias como que num ato de cura, lavou as trevas de sua cegueira. Quem foi enviado a curar, com justiça se chamou “Deus cura”.
Fonte: Liturgia das Horas.

Do Livro do Apocalipse de São João 12,1-17

O combate de Miguel com o Dragão
1 Apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. 2Estava grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. 3Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Do Tratado sobre a Oração do Senhor, de São Cipriano, bispo e mártir

Não apenas com palavras,
mas ainda com atos se deve orar
            Não é de admirar, irmãos caríssimos, que a oração, tal como Deus a ensinou, enfeixe, por seu ensinamento, toda a nossa prece numa breve palavra de salvação. Já pelo profeta Isaías isto tinha sido predito, quando, cheio do Espírito Santo, falava da majestade e bondade de Deus: Verbo que completa e abrevia na justiça, por

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Do Tratado sobre a Oração do Senhor, de São Cipriano, bispo e mártir

Nós, filhos de Deus, permaneçamos na paz de Deus
    Cristo acrescentou claramente uma lei que nos obriga a determinada condição: que
peçamos a remissão das dívidas, se nós mesmos perdoarmos aos nossos devedores,
sabendo que não podemos alcançar o perdão pedido a não ser que façamos o mesmo em
relação aos que nos ofendem. Por esta razão, diz em

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Do Tratado sobre a Oração do Senhor, de São Cipriano, bispo e mártir

Depois do pão, pedimos o perdão dos pecados
            Continuando a oração, fazemos o pedido: O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Pode-se entendê-lo tanto espiritual como naturalmente. De ambos os modos Deus se serve para nossa salvação. Cristo é o pão da vida e este pão não é de todos, é nosso. Assim como dizemos Pai nosso, por ser Pai dos que entendem e creem, assim dizemos pão nosso, porque Cristo é o