quinta-feira, 8 de abril de 2010

Tocai-Me e olhai


Sermões de Santo António de Lisboa (c. 1195-1231), franciscano, Doutor da Igreja
 para o domingo e as festas dos santos (a partir da trad. Eds. Franciscaines 1944, p. 139)
«Tocai-Me e olhai»
«Vede as Minhas mãos e os Meus pés: sou Eu mesmo». A meu ver, são quatro as
razões pelas quais o Senhor mostra o lado, as mãos e os pés aos apóstolos.
Em primeiro lugar, para mostrar que tinha ressuscitado verdadeiramente e
afastar qualquer espécie de dúvida do nosso espírito. Em segundo lugar,
para que «a pomba», ou seja, a Igreja ou a alma fiel, fizesse o ninho nas
Suas chagas como «nos recessos dos rochedos» (Ct 2, 14) e aí encontrasse
abrigo contra o gavião que a espreita. Em terceiro lugar, para imprimir no
nosso coração, quais insígnias, as marcas da Sua Paixão. Em quarto lugar,
para nos advertir e nos pedir que tivéssemos piedade Dele e não O
trespassássemos de novo com os cravos dos nossos pecados.Ele mostra-nos as mãos e os pés: «Eis as mãos que vos formaram», diz-nos (cf Sl 118, 73): vede os cravos que as trespassaram. Eis o Meu coração, onde nascestes, vós, os fiéis, vós, a Minha Igreja, como Eva nasceu do lado de Adão: vede a lança que o abriu, a fim de que vos fosse aberta a porta do
Paraíso, que o Querubim de fogo mantinha encerrada. O sangue que correu do meu lado afastou este anjo, embotou-lhe a espada: a água extinguiu o fogo
(cf Jo 19, 34). [...] Escutai com atenção, ouvi estas palavras, e tereis paz em vós.

Um comentário:

Catequista Sheila disse...

Oi, amigo...
como vai? passei para desejar um dia bem feliz. Bjinhos e fique com Deus.