quinta-feira, 9 de setembro de 2010

1ª Carta aos Coríntios 8,1-7.11-13.

Acerca das carnes imoladas aos ídolos, sabemos que todos já estamos instruídos. A ciência incha, mas a caridade edifica. Se alguém pensa que sabe alguma coisa, ainda não sabe como deveria saber. Mas se alguém ama a Deus, esse é conhecido por Deus. Portanto, quanto ao consumo de carnes imoladas aos ídolos, sabemos que um ídolo não é nada no mundo, e que não há outro deus a não ser o Deus único. Pois, embora haja pretensos deuses, quer no céu quer na terra – e há muitos deuses e muitos senhores – para nós, contudo, um só é Deus, o Pai, de quem tudo procede e para quem nós somos, e um só é o Senhor Jesus Cristo, por meio do qual tudo existe e mediante o qual nós existimos. Mas nem todos têm esta ciência. Alguns, acostumados até há pouco ao culto dos ídolos, comem a carne como se fosse um verdadeiro sacrifício aos ídolos, e a sua consciência, fraca como é, fica manchada. E assim, pela tua ciência, vai perder-se quem é fraco, um irmão pelo qual Cristo morreu. Pecando contra os próprios irmãos e ferindo a consciência deles que é débil, é contra Cristo que pecais. Por isso, se um alimento for motivo de queda para o meu irmão, nunca mais voltarei a comer carne, para não causar a queda do meu irmão.

Nenhum comentário: