sábado, 18 de setembro de 2010

Maria e o pecado original

Por pecado original, nós entendemos, como já declarei, algo de negativo, a saber: a privação da graça sobrenatural concedida gratuita e livremente a Adão e Eva, no momento de sua criação, a privação e as conseqüências de um fato íntimo por natureza.

Não mais do que eles, Maria não podia merecer a restauração da graça; esta foi restaurada nela, pela livre vontade de Deus, desde o primeiro momento de sua existência. Ela jamais se encontrou, então, sob o golpe da maldição original, que consistia na perda da graça.

Este privilégio lhe foi concedido com uma finalidade especial: prepará-la para se tornar a Mãe de seu Redentor, o Redentor d´Ela e nosso, e prepará-la sob o ponto de vista mental e espiritual, para que, auxiliada por esta primeira graça, pudesse crescer de tal forma na graça que, na chegada do Anjo e do Senhor, Ela estivesse “cheia de graças”, preparada, tanto quanto uma criatura possa estar, a recebê-lo em seu seio.

Nenhum comentário: