terça-feira, 2 de novembro de 2010

Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 15,12-34

A ressurreição de Cristo, esperança dos fiéis Irmãos: 12 Se se prega que Cristo ressuscitou dos mortos, como podem alguns dizer entre vós que não há ressurreição dos mortos? 13 Se não há ressurreição dos mortos, então Cristo não ressuscitou. 14 E se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vã e a vossa fé é vã também. 15
Nesse caso, nós seríamos testemunhas mentirosas de Deus, porque teríamos atestado – contra
Deus – que ele ressuscitou Cristo, quando, de fato, ele não o teria ressuscitado – se é verdade
que os mortos não ressuscitam. 16 Pois, se os mortos não ressuscitam, então Cristo também não ressuscitou. 17 E se Cristo não ressuscitou, a vossa fé não tem nenhum valor e ainda estais nos vossos pecados. 18 Então, também os que morreram em Cristo pereceram. 19 Se é para esta vida que pusemos a nossa esperança em Cristo, nós somos – de todos os homens – os mais dignos de compaixão.
20 Mas, na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21 Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. 22 Como em Adão todos morem, assim também em Cristo todos reviverão. 23 Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. 24 A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo o principado e todo o poder e força. 25 Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26 O último inimigo a ser destruído é a morte. 27 Com efeito, “Deus pôs tudo debaixo de seus pés”. Mas, quando ele disser: “Tudo está submetido”, é claro que estará excluído dessa submissão aquele que submeteu tudo a Cristo. 28 E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.
29 De outro modo, o que pretendem aqueles que batizam em favor dos mortos? Se os mortos
realmente não ressuscitam, por que se batizam por eles? 30 E nós,por que nos expomos a
perigos a toda hora? 31 Cada dia, irmãos, me exponho à morte, tão certo como sois a minha
glória em Jesus Cristo, nosso Senhor. 32 Se foi por intenção humana que combati com feras em Éfeso, o que me aproveita isso? Se os mortos não ressuscitam, comamos e bebamos porque amanhã morreremos. 33Não vos enganeis: “As más companhias corrompemos bons costumes”.
34 Caí em vós, como é justo, e não pequeis porque alguns vivem na ignorância de Deus. Para
vossa vergonha é que digo.

Nenhum comentário: