quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Carta de São Paulo aos Gálatas

Da Carta de São Paulo aos Gálatas 2,19–3,7.13-14;
6,14-16

A glória da cruz
Irmãos:  Foi em virtude da Lei que eu Paulo morri para a Lei, a fim de viver para
Deus. Com Cristo, eu fui pregado na cruz. Eu vivo, mas não eu, é Cristo que vive em
mim. Esta minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé, crendo no Filho de Deus, que
me amou e por mim se entregou. Eu não desprezo a graça de Deus. Ora, se a justiça
vem pela Lei, então Cristo morreu inutilmente.

Ó gálatas insensatos, quem é que vos fascinou? Diante de vossos olhos, não foi acaso
representado, como que ao vivo, Jesus Cristo crucificado? Só isto quero saber de vós:
Recebestes o Espírito pela prática da Lei ou pela fé através da pregação? Sois assim tão
insensatos? A ponto de, depois de terdes começado pelo espírito, quererdes terminar
pela carne? Foi acaso em vão que sofrestes tanto? Se é que foi mesmo em vão! Aquele
que vos dá generosamente o Espírito e realiza milagres entre vós, faz isso porque
praticais a Lei ou porque crestes, através da pregação?

  Como Abraão creu em Deus, e isto lhe valeu ser declarado justo, ficai pois cientes
que os que crêem é que são verdadeiros filhos de Abraão.

 Cristo resgatou-nos da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós, pois está
escrito: Maldito todo aquele que é suspenso no madeiro. Assim a bênção de Abraão se
estendeu aos pagãos em Cristo Jesus e pela fé recebemos a promessa do Espírito.

 Quanto a mim, que eu me glorie somente da cruz do Senhor nosso, Jesus Cristo. Por
ele, o mundo está crucificado para mim, como eu estou crucificado para o mundo.

Pois nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor, o que conta é a criação nova.
E para todos os que seguirem esta norma, como para o Israel de Deus: paz e
misericórdia.
Fonte: Liturgia das Horas

Nenhum comentário: