Maria, presença de Jesus, antes da Encarnação

Maria, presença de Jesus, antes da Encarnação


O mistério da Virgem Santíssima é a evidência de que ela já estava na terra antes da chegada de Jesus; e estava em Israel antes de sua chegada. E, já em Israel, transparece a misteriosa presença, diria eu, de Jesus, antes de Jesus, visto que Maria, sua Mãe, já estava absolutamente ligada ao Filho e que toda a sua vida e essência existiram e existem apenas para Ele, Jesus. Ela está, pois, presente, no espaço que precede a Encarnação. Parece ter sido um momento em que a Igreja já estivesse presente entre nós, pois Maria é a figura da Igreja, assim como é a imagem da humanidade salva por Cristo, antes que Jesus aqui estivesse.

Compreendemos, então, qual o papel misterioso da Virgem Santíssima, entre os povos pagãos: para eles, a Igreja não existe, Jesus ainda não está entre nós; contudo, a Igreja já vive entre nós porque Maria está aqui. E assim, antes que os povos pagãos fossem convertidos a Jesus Cristo, antes que a Igreja visível, patente, evidente tivesse sido implantada entre eles, existe a misteriosa presença de Maria, que prepara e prefigura a Igreja, tal como uma antecipação do que viria a ser a Igreja. É esta a relação tão misteriosa e profunda de Maria com os povos pagãos.
Vocês se lembram dessa passagem, onde Péguy explica que não se sente capaz de rezar o "Pai Nosso", mas pode rezar a "Ave Maria"? Muitos pecadores não conseguem rezar o "Pai Nosso", contudo, rezam a "Ave Maria". Aí está algo de justíssimo: quando não conseguimos rezar o "Pai Nosso" porque, corroídos pelo pecado e distantes do estado de graça, sentimo-nos envergonhados e indignos de invocar a Deus, nosso Pai, ainda assim, parece-nos possível invocar a Santa Mãe de Deus, rezando a "Ave Maria", porque existe uma presença de Maria, onde Jesus e a graça ainda não estão presentes. É por isso que existe uma relação misteriosa entre Maria e os pecadores; e os pecadores sentem esta relação, de tal forma, que rezam a Maria, visto ainda não se sentirem preparados para rezar a Jesus.

Jean Daniélou
O Mistério do Advento, p. 129-130